EPHEMERA DIÁRIO (3 DE MAIO DE 2020): O MITO DOS “BRANDOS COSTUMES” NA POLÍTICA EM DEMOCRACIA

Uma das campanhas políticas mais virulentas que se fizeram no Portugal democrático foi contra Francisco Sá Carneiro imediatamente antes e durante o governo da Aliança Democrática. Foi uma campanha conduzida pelo PCP, pela CGTP e pelo jornal Diário, com alguma colaboração do PS e mesmo de Mário Soares que se portou muito mal nesya matéria. Assentava em duas linhas de ataque. Uma era a dívida de Sá Carneiro ao BESCL de 33.000 contos, que aquele garantia já ter pago, outra, era a sua situação conjugal, vivendo com Snu Abecassis. A primeira linha de ataque era aberta e sem subterfúgios, a segunda era feita de inuendos e sugestões maliciosas. Sá Carneiro era representado como um “burlão” ou um vampiro, em cartazes, caricaturas, slogans. Este cartaz,  é dos mais pacíficos feitos na altura.

Seja o primeiro a comentar

Leave a Reply