2 Comments

  1. Tanto quanto julgo saber (e, se não estou em erro, tê-lo-ei aprendido no I volume da biografia de Álvaro Cunhal que escreveu), o PCP haveria de fazer a síntese perfeita entre esta mania de discutir ao domingo “os mistérios e problemas de baixa política” e a alegria de acabar com a “pena” do Tejo deserto. Passou a usar os passeios de barco no Tejo, para as suas reuniões clandestinas, longe dos olhares indiscretos dos agentes da PVDE.

  2. Ah, esqueci-me de dizer que este blogue presta um serviço público que é muito raro, mesmo em entidades públicas cuja missão é prestar um serviço público.
    Não conto vê-lo num futuro próximo agraciado com qualquer medalha de mérito cultural, atribuída por quem tinha obrigação de o fazer. Mas conto-me entre os portugueses que gratos lhe dizem: obrigado.

Deixar uma resposta