Posted by: JPP | 11/04/2010

UNIÃO DE GRÉMIOS DOS ESPECTÁCULOS E A CENSURA

Tudo indica que uma parte muito significativa dos arquivos da União de Grémios dos Espectáculos (UGE), a antiga organização corporativa dos empresários ligados ao cinema, substituída depois do 25 de Abril pela Associação Portuguesa das Empresas Cinematográficas , tenham sido destruídos. Não estou certo se foram todos (parece terem ido parar alguns documentos, após muita insistência, à Cinemateca), mas muitos terão já desaparecido. Dessa destruição foi possível salvar este dossier respeitante à correspondência quer interna, quer externa, da UGE com as entidades responsáveis pela censura dos filmes, desde o início da década de sessenta, assim como um outro dossier sobre a mesma matéria  já sem capa, mas mantendo a documentação organizada, assim como algumas peças soltas que estavam colocadas junto. Para além da correspondência, existem alguns documentos, em particular quadros, mapas e sínteses sobre a actividade da censura dos filmes, englobando igualmente informações sobre a censura em Angola e Moçambique que parece muito mais aberta à exibição de filmes proibidos no continente. O interesse deste conjunto de documentação vem também de ele completar a da contraparte, SNI, DGSE e Censura, que se encontra no Arquivo Nacional da Torre do Tombo.. Dessa documentação se reproduzem aqui alguns exemplos, que mostram o seu interesse para o estudo da censura, mas também a forma como os empresários do sector se esforçavam para conciliar os seus interesses com o controlo político do regime.

Carta da Doperfilme referindo os filmes enviados para a censura e os cortados (12 de Janeiro de 1962).

(Completo.)

Dossier sobre o filme Roma Cidade Aberta (de Rossellini) na tentativa de ultrapassar o “Obviamente proibido” que a censura tinha decretado e que de novo foi reafirmado em 1963.

(Completo.)

Carta de Filmes Castello Lopes sobre os filmes cortados e que podiam ser sujeitos a um processo de revisão da decisão, 18 de Dezembro de 1968.

Telegrama ao Presidente da Assembleia Nacional (posterior a 1969).

(Completo.)

Quadro realizado nos serviços da UGE sobre os filmes permitidos, com cortes, censurados, que foram proibidos depois de estarem em exibição ou que eram permitidos em Angola e Moçambique e proibidos em Portugal continental.


Deixar uma resposta

Categorias