NOTÍCIAS, ENTRADAS, AGRADECIMENTOS (2): DOCUMENTOS SOBRE A OPOSIÇÃO À DITADURA

Copy of 19.05.13 (1)ff (9)

Agradeço a Pedro Ataíde a oferta de um conjunto de documentos relativos à história da oposição portuguesa que pertenceram a seu avô Francisco de Azevedo Ataíde de Sousa e Meneses (Casa da Bemposta, São Tomé do Vade, Ponte da Barca, 22 Março 1910 –  Porto, 19 Janeiro 1976). Os dados biográficos fornecidos pelo seu neto referem que

“Na sua juventude viveu na casa ao lado da Família Norton de Matos, em Ponte de Lima, pelo que conhecia bem a família e o próprio General Norton de Matos. Foi funcionário superior da CP, tendo vivido em Viana do Castelo e Porto. Era filho de Miguel de Azevedo Ataíde de Sousa e Meneses, Bacharel formado em Direito pela Universidade de Coimbra exerceu a advocacia e entre outras funções, foi o primeiro Juiz do Julgado Municipal de Ponte da Barca, Provedor da Santa Casa da Misericórdia de Ponte da Barca, Presidente da Câmara Municipal de Ponte da Barca e Delegado Policial. Sobre a formação do meu avô, sei que frequentou a Universidade de Coimbra, não tendo porém concluido o curso de Direito.
Tem várias crónicas publicadas no jornal “A Aurora do Lima”, sobretudo com temas de cariz regionalistas. 
 Quanto às suas ligações à oposição, não posso adiantar muito mais, uma vez que não o conheci e o meu pai morreu quando eu era adolescente – lembro-me apenas de o meu pai contar que foi com ele à manifestação do Porto. Sei só que foi, no mínimo, investigado pela PIDE, pois, como disse, isso fez parte da acusação no julgamento de um ex-pide, julgo que em 1975.”

*

Esses documentos incluem:

– Panfleto com imagens da campanha de Norton de Matos (1949);-

– Página de O Jornal de Notícias (15/1/1953) com um artigo de Ramos de Almeida com o comentário da situação política, fazendo a apologia do 28 de Maio e do Estado Novo desacreditando a 1ª República;

– 4 postais da campanha de Humberto Delgado;

– 4 fotografias,  originais, da chegada de Humberto Delgado ao Porto em campanha, 14/5/1958.

Carta do General Humberto Delgado ao Sr. Presidente da República (19/5/1958);

– Francisco Lino Netto, Considerações dum católico sobre o período eleitoral, 2 exemplares;

Carta aberta do General Humberto Delgado ao Novo Governo, 2 exemplares;

– Exemplar do jornal de Arcos de Valdevez A Vanguarda (29/6/1958) em que está destacada a reprodução de um artigo do Diário do Minho de Gustavo  de Almeida em que “em nome da conquista da mocidade e juventude” pede aos “senhores políticos emburguesados e cansados” que tenham “a coragem de se demitir” para “não estragar a obra de Salazar”, pois “vencerá quem, enganando-a embora, lhe aponte com esperanças novas”;

Carta do Senhor Bispo do Porto ao Presidente do Conselho, em que conselho está ecrito concelho e corrigido à mão;

– Panfleto, dactilografado, que reproduz um artigo do jornal brasileiro Tribuna da Imprensa (28/1/1960) «Galvão critica “terno diálogo” Láfer-Salazar»;

– Panfleto anónimo em stencil em que se denuncia compadrio e possível corrupção de pessoas próximas de Américo Tomás, com a conivência do próprio que “épater la bourgeoisie compra casacos de pele em prestações à esposa”.

De especial interesse são as fotografias da chegada de Humberto Delgado, em cópias originais, parte de um conjunto que serviu para a propaganda da campanha. No entanto, uma observação mais atenta das fotos revela que algumas são inéditas, ou originais que foram apenas reprouzidos truncados.

Seja o primeiro a comentar

Deixar uma resposta