Posted by: JPP | 23/05/2015

NOTÍCIAS DO EPHEMERA

É difícil haver melhores notícias do que as entradas sucessivas de importantes espólios e colecções e, cada exemplo de uma doação, atrai logo outras. Várias estão a ser “conversadas” e preparadas.

Só para dar exemplo de três entradas recentes de grande dimensão e importância, o Fundo Carlos da Fonseca, o Espólio de Vítor Crespo e o arquivo da campanha eleitoral de Maria de Lourdes Pintasilgo de 1985. Esta semana ficou concluída a doação por parte da Fundação Calouste Gulbenkian do Fundo Carlos da Fonseca, tendo entrado dez grandes caixas, que, a julgar por uma primeira análise, são as mais importantes do conjunto. A integração da minha colecção pessoal de materiais políticos das décadas de 50 até aos dias de hoje, com a de Carlos da Fonseca, também de grande dimensão, permite organizar colecções completas de periódicos clandestinos e da emigração, alguns raríssimos, assim como séries de milhares de panfletos, cobrindo todo o espectro político, associativo e sindical.

A oferta do Espólio Vítor Crespo foi acompanhada pela oferta da sua biblioteca e de muitos objectos pessoais e relacionados com as suas funções, em particular como Presidente da Assembleia da República. Isso permitiu reconstituir parcialmente o seu gabinete de trabalho em casa, com os seus móveis preferidos e o cinzeiro que usava, como fumador inveterado que era. Está a ser instalada a sua aparelhagem sonora, que permitirá usar os discos de vinil da sua colecção, feita por um grande amor à música.

ARQALDEF_3766_resize

Será este o local usado pelos investigadores que venham trabalhar para o arquivo.

O arquivo da campanha eleitoral de Maria de Lourdes Pintasilgo, com cerca de 3 metros lineares de documentação original, está também desencaixotado e foi sujeito a uma primeira organização, com a separação dos materiais públicos da campanha, panfletos, periódicos, etc., que já estão a ser digitalizados. O Coronel Sousa e Castro, que foi director da campanha de 1985-6, doou também algumas centenas de publicações da sua biblioteca pessoal que estão a ser organizadas.

*

Algumas aquisições têm-se também revelado muito frutíferas. Saliento a aquisição de uma colecção de calendários políticos, portugueses e não só, com vários milhares de exemplares. Essa colecção, que já está quase toda digitalizada, é notável não só pelo número muito elevado de espécies, mas também pelo retrato que permite de muitas eleições locais, cujo rastro documental está em parte perdido e que nenhuma instituição recolhe. Ao mesmo tempo, facilita, e muito, a organização das pastas do ARQUIVO / BIBLIOTECA visto que os calendários permitem datar os panfletos muitas vezes sem qualquer indicação de data.

Outra aquisição em curso são os papéis do Conde de Azinhaga que se encontravam no Palácio da Anunciada, incluindo vários jornais do século XIX, documentos da Causa Monárquica, da União Nacional, de várias organizações católicas, publicações anti comunistas, correspondência, etc.

*

O EPHEMERA ultrapassou as 12000 entradas, e embora haja algumas que são “administrativas”, a esmagadora maioria são pastas de documentação. A organização de pastas cronológicas para entidades emissoras de grande número de materiais tem facilitado muito a publicação do que entra, abrindo-se a pasta com um documento mesmo que haja centenas de outros. sto impede uma acumulação de atraso no que já está digitalizado e que tem já quase 80.000 digitalizações à espera.

(Continua.)


Responses

  1. Muito obrigado pelas excelentes notícias!
    Aproveitando o dia de Pentecostes, que hoje se celebra, faço votos para que a Graça do Divino Espírito Santo – tantas vezes invocada nas maiores empresas da nossa História – esteja sempre do lado de quem faz o melhor por Portugal e por todos nós.


Deixar uma resposta

Categorias