ARQUIVO – ESTADO DA ORGANIZAÇÃO DOS ESPÓLIOS E ACERVOS – ROÇA PACIÊNCIA (ILHA DO PRÍNCIPE)

 

Procedeu-se à limpeza e condicionamento de várias pastas com origem na Roça Paciência na Ilha do Príncipe, em S. Tomé e Príncipe. As pastas contêm correspondência, contabilidade, relações com a banca e as autoridades locais, em geral a gestão da Roça nos anos 60.

 

ANEXO:

DESCRIÇÃO DA ROÇA PACIÊNCIA

Situada a norte da ilha do Príncipe, perto das roças Belo Monte e Praia Inhame, a roça Paciência foi propriedade do Dr. Cupertino d’Andrade e mais tarde dependência da roça Sundy.
Apesar da sua pequena dimensão, conserva um certo ambiente familiar, muito idêntico às pequenas quintas portuguesas.
À semelhança de várias roças da ilha do Príncipe, tem uma estrutura de «roça-terreiro», com geometria quadrada e encerrada pelos seus edifícios. Embora definam o terreiro, os edifícios são volumes isolados, ligeiramente afastados entre si. As duas sanzalas ocupam uma das faces do recinto, com os secadores e o antigo galinheiro a formarem a ala contrária. As oficinas definem outro dos lados, com a casa principal, a casa dos empregados e os escritórios a fechar o complexo.
A entrada principal é feita por uma rampa a eixo com a casa principal, que liga o hospital ao terreiro da roça, ladeado por sucessivos patamares agrícolas. Do lado oposto à casa principal, encontrava‑se a entrada de serviço, que fazia a ligação ao mato através de uma pequena linha ferroviária. As humildes sanzalas apresentam diferentes épocas de construção, estando abertas na frente para o interior do terreiro e no tardoz para fora dessa estrutura. A torre sineira, datada de 1955, está assente sobre um depósito de água e a eixo da entrada principal, junto à casa da administração.
Do ponto de vista arquitectónico, a roça Paciência é caracterizada por uma traça humilde e despojada. Contudo, a grande escadaria de tiro e as guardas da varanda alpendrada marcam claramente a hierarquia entre a casa principal e os restantes edifícios. Todas as portas das oficinas têm um desenho elaborado, com bandeira em arco e de belo efeito.
A marcar a entrada no terreiro, existe uma ponte que liga a casa principal aos escritórios, as únicas construções de dois pisos. As casas dos encarregados são pequenas, mas destacam‑se pelo alpendre profundo.
As duas sanzalas têm dez portas e janelas viradas para as duas frentes, num total de 40 casas para os antigos 120 trabalhadores da roça. Fora do terreiro encontram‑se os edifícios de apoio à actividade agrícola, como o estábulo, a pocilga e os galinheiros. A roça Paciência está actualmente em recuperação, promovendo a actividade agrícola e funcionando como escola de pedreiros.

 

Seja o primeiro a comentar

Deixar uma resposta