ENTRADAS – SCRAPBOOK CONTRA A IMPRENSA PRÓ-DITADURA E MATERIAIS DA CRISE DE 1962

Agradeço a Marina Valle, uma nossa amiga de Lamego que já ofereceu muito material ao EPHEMERA, por mais esta oferta, neste caso um conjunto de documentos, incluindo um scrapbook feito por um estudante (Francisco Gil Azevedo, estudante de Direito em Lisboa e participante nas lutas de 1962). O scrapbook, um livro de recortes com anotações, foi feito essencialmente contra um dos mais agressivos jornais apoiantes da ditadura, o Agora.  Em anexo, tem outros documentos como este texto de Paulo Cunha:

Existe também um outro caderno com características semelhantes a um scrapbook, onde está recolhida uma série de comunicados da crise de 1962, alguns com recortes colados e outros com anotações.

Comunicados anotados e com colagens.

Na documentação encontra-se também um grupo de correspondência em que Francisco Gil Azevedo exige que lhe sejam devolvidos os livros que ficaram na Cantina Universitária, quando a polícia a atacou e encerrou, e um telegrama de solidariedade com Lindley Cintra que fora agredido pela polícia, mas que foi devolvido pelos CTT sem ser entregue.

 

Devolução dos livros.

Telegrama a Lindley Cintra.

Seja o primeiro a comentar

Deixar uma resposta