NOTAS DO ARQUIVO / BIBLIOTECA EPHEMERA

SUMÁRIO:

1- PROBLEMAS DE UM ARQUIVO OMNÍVORO – TEMPUS EDAX RERUM

2. O NOSSO FALSIFICADOR

 

1- PROBLEMAS DE UM ARQUIVO OMNÍVORO – TEMPUS EDAX RERUM

 

Antes e depois. Saco de gomas na campanha eleitoral para o Parlamento Europeu (Luxemburgo, 2019)

Há uma tendência nos últimos actos eleitorais pela Europa fora para oferecer produtos de comer, bolos, pastilhas, gomas, bebidas, etc. Isso representa um problema para um arquivo que pretende conservar tudo o que diz respeito à actividade política Quando os “brindes” eram canetas, cadernos, leques, etc., não havia problema. Mas,  com produtos biodegradáveis estes não podem ser conservados. A regra que seguimos é fotografá-los na sua forma original e comê-los, quando há corajosos para o fazer, e depois guardar os envólucros.

 

O que foi possível recuperar de um fax quase invisível (Acervo João Soares) manipulando a imagem digital.

Outro problema é o carácter perecível de certos meios materiais que, pela sua composição química, ou são fotosensíveis ou pura  e simplesmente se degradam rapidamente. É o caso das fotocópias antigas e, pior ainda,  dos faxes. É por isso que os arquivos com materiais dos anos 70-90 têm de ser salvos com urgência pela digitalização e pela manipulação da imagem digitalizada para tornar legível o que lá está escrito ou desenhado.

2 –  O NOSSO FALSIFICADOR

Está em Paris no Musée d’Art et d’Histoire du Judaïsme uma exposição sobre Adolfo Kaminsky, fotógrafo e falsificador, que teve uma vida de risco para ajudar movimentos de resistência desde a França ocupada até aos anos 60 e 70. Apoiou vários exilados e resistentes portugueses, a começar por Hermínio da Palma Inácio, sendo que alguns dos documentos que falsificou encontram-se no ARQUIVO EPHEMERA.

Seja o primeiro a comentar

Deixar uma resposta