COMISSÃO DE LUTA DA ESCOLA ANTÓNIO ARROIO

ACTUALIZADA

IMAGEM1IMAGEM2DATAAUTORTÍTULOBIOORGGEOEVENTONOTAS
1984/01/04ASSOCIAÇÃO DE ESTUDANTES NOCTURNA / COMISSÃO DE LUTA
[ESCOLA ANTÓNIO ARROIO}
1984/01/31ASSOCIAÇÃO DE ESTUDANTES NOCTURNOS / COMISSÃO DE LUTA NOCTURNA /
COMISSÃO DE LUTA DIURNA /
[ESCOLA ANTÓNIO ARROIO]
1984/02COMISSÃO DE LUTA DE DIA
[ESCOLA ANTÓNIO ARROIO]
1984/02/09COMISSÃO DE LUTA / ASSOCIAÇÃO DE ESTUDANTES NOCTURNOS
[ESCOLA ANTÓNIO ARROIO]
1984/02/16?COMISSÃO DE LUTA DE DIA
[ESCOLA ANTÓNIO ARROIO]
1984/02/16?COMISSÃO DE LUTA DE DIA
[ESCOLA ANTÓNIO ARROIO}
1984/03/31COMISSÃO DE LUTA DE DIA
[ESCOLA ANTÓNIO ARROIO]
1984/05/22COMISSÃO ELEITORAL / PROMOTORES DO ABAIXO ASSINADO / OS REPRESENTANTES DOS ALUNOS AO CD / COMISSÃO DE LUTA
[ESCOLA ANTÓNIO ARROIO}
1984/11COMISSÃO DE LUTA
[ESCOLA ANTÓNIO ARROIO]
1985/02LISTA L
[COMISSÃO DE LUTA]

[ESCOLA ANTÓNIO ARROIO]

 

Carimbo da Comissão de Luta já em mau estado.

Comunicados contra a Comissão de Luta.

Recorte.

 

ORGANIZAÇÃODATATEXTOBIOFONTESNOTAS
COMISSÃO DE LUTA DA ESCOLA ANTÓNIO ARROIO1984-1986COMISSÃO DE LUTA DA ESCOLA ANTÓNIO ARROIO
Grupo de estudantes informal que surgiu na Escola António Arroio entre 1984 e 1986. Era constituído por um conjunto de estudantes, cerca de 10-20, ligados à JCP, UDP, ao PSR, à JOC, e independentes. Entre os seus membros encontrava-se Manuel Pedro Chaves, João Leitão (UDP), Luísa Bonifácio, Pedro Penilo, Tomaz, Ana Vicente, Graça Martins (JOC). Com o tempo, a influência da JCP cresce, e leva ao afastamento de alguns dos seus membros.
O seu aparecimento deu-se em reacção ao encerramento do Bar e à volta da questão da reestruturação dos cursos, que retirava a habilitação própria aos estudantes que pretendiam seguir a carreira de professores de Trabalhos Manuais, uma das saídas profissionais dos cursos da António Arroio. A escola perdeu o estatuto de “Escola da Artes Decorativas” para passar a ser uma escola de ensino secundário. O encerramento do Bar prejudicava essencialmente os estudantes da noite.
A formação da Comissão de Luta fez-se em reacção a uma Associação dos Estudantes Diurna que pouco fazia para além de “convívios”. A Comissão de Luta tinha melhores relações com a Associação de Estudantes Nocturna, havendo também uma Comissão de Luta Nocturna. A composição de estudantes trabalhadores era maior nos cursos nocturnos.
A Comissão de Luta participou na organização de uma Semana Cultural em que estiveram Rui Veloso, José Mário Branco, Caldeira Cabral e Maria João. Nas eleições para a Associação concorreu na Lista L (contra a Lista A ligada à Associação Diurna) e ganhou. Com a integração da Comissão no trabalho associativo, esta desapareceu.
BONIFÁCIO, LUÍSA
CHAVES, MANUEL PEDRO
LEITÃO, JOão
MARTINS, GRAÇA
PENILO, PEDRO
VICENTE, ANA
Testemunho de Manuel Pedro Chaves.
Comunicados.
Manuela Alves, "Quem quer destruir a António Arroio?", Diário de Lisboa, 19 de Dezeembro de 1983.
João Leitão (músico dos Irmãos Catita); Pedro Penilo foi estudar para a Checoslováquia.
Manuel Pedro Chaves é arquitecto.

Agradeço a Manuel Pedro Ferreira Chaves, que foi membro da Comissão de Luta, a oferta dos materiais relativos ao movimento estudantil na Escola António Arroio.

Seja o primeiro a comentar

Deixar uma resposta