EPHEMERA DIÁRIO (31 DE MARÇO DE 2020): “PS PARTIDO DO POVO”

Este é um dos cartazes mais raros dos primeiros anos do PS na legalidade. O PS, saído da clandestinidade depois do 25 de Abril, tinha uma linguagem mais “esquerdista” do que o próprio PCP. Era o tempo do “PS Partido Marxista” (também há um cartaz), da Internacional, hino do PS (há um disco), e do acordo de Frente Popular que tinha assinado no exílio com o PCP,  e só começou a mudar em 1975, com o conflito sobre a unicidade sindical e com o PREC. Esta representação do trabalho é puramente simbólica, usando uma imagem já completamente anacrónica, com origem na iconografia laboral dos anos 30 e 40.

[outras histórias no Ephemera Diário]

Seja o primeiro a comentar

Deixar uma resposta