FRENTE POPULAR PORTUGUESA

EM CONSTRUÇÃO / ACTUALIZAÇÃO

 PANFLETOS

IMAGEM 1IMAGEM 2DATAAUTORTÍTULOORGBIOGEOTIPONOTAS
1936?FRENTE POPULAR PORTUGUESA
1936?FRENTE POPULAR PORTUGUESA
1936FRENTE POPULAR PORTUGUESA
1936/09FRENTE POPULAR PORTUGUESA
1936FRENTE POPULAR PORTUGUESA

[FRENTE POPULAR PORTUGUESA], QUE FAZER? AMIGO DA ESPANHA

1936?FRENTE POPULAR PORTUGUESA
1936?FRENTE POPULAR PORTUGUESA
1936?FRENTE POPULAR PORTUGUESA


1936/10FRENTE POPULAR PORTUGUESA

CORRESPONDÊNCIA

IMAGEM 1IMAGEM 2 TRANSCRIÇÃO DATALOCALDE:PARA:DESCRIÇÃOORGORIGEM NOTAS

s/d [manuscrito]
À Monsieur le Ministre d'Argentine
Monsieur
Le Front Populaire Portugais vient auprès de vous protester contre la conduite que le gouvernement de la dictature de son pays a prise en face des événements en cours dans la nation voisine.
La dictature fasciste – vous devez le savoir – s'est emparé du pouvoir chez nous il y a une dizaine d'années grâce exclusivement à un coup de force réalilisé [sic] par l'armée soulevée contre un Gouvernement légalement constitué, et elle ne s'y est maintenue qu'au moyen de procédés de coaction et de violence chaque fois plus dure et chaque fois plus amolissants. De telle façon que le F.P.P., qui réunit tous les partis et groupes de gauche, peut, en consequence, se croire le porte-parole de la grande majorité des citoyens portugais, ou, si l'on préfère, du Peuple portugais tout court.
C'est déjà du domaine du grand public portugais, et il le sera certainement bientôt de celui de chaque nation, ce fait que le gouvernement de la dictature au Portugal est en train de fournir aux rebelles espagnols un secours aussi important qu'effronté. Argent, armes, munitions, carburants, vivres, traversent à chaque instant les frontières qui séparent les deux pays. Et la chose ne s'arrête point là. Il y a d'autres fournitures, il y a aussi des fournitures humaines: le gouvernement de la dictature livre systématiquement aux fusils des rebelles, pieds et poings liés (ceci interprété meme, si l'on veut, dans le sens immediat du mot), tous ceux d'entre les loyalistes que le sort des armes rejette dans le territoire portugais.
Or, devant une pareille attitude, qui viole toute loi de neutralité et sentiment d'humanité, le F.P.P. ne peut rester muet, garder son indignation pour lui-même. Au nom du Peuple portugais, qu'il représente, il tient à la désavouer bien clairement en face du public étranger, et à décliner hautement toute sorte de responsabilité.
Le F.P.P. aurait voulu, certs [sic], donner une forme plus catégorique à sa protestation. Mais subsistant dans les conditions précaires d'une clandestinité à laquelle tous las [sic] régimes fascistes condamnent ceux qui luttent pour la liberté,il est forcé, en face de l'inutilité fatale de toutes les audaces, d'avoir recours à des moyens plus discrets, qui néanmoins, il l'espére, trouveront un écho d'humanité chez tous les membres du Corps Diplomatique en ce moment accrédités au Portugal.
Par le Front Populaire Portugais
António [ilegível] [assinatura]
Le Secrétaire
[carimbo de Frente Popular Portuguesa]
1937?Embaixador da Argentina FRENTE POPULAR PORTUGUESA(em francês)

(1ª leitura)
[Carimbo Selo de MINISTÉRIO DA GUERRA – REPARTIÇÃO DO GABINETE DO MINISTRO]
CÓPIA
[Manuscrito Cópia da Cópia]
- Frente Popular Portuguesa
(Comité do Norte) PÔRTO
Comandante da 1ª Região Militar
PÔRTO
A Frente Popular Portuguesa, por intermédio do seu comité do norte, nas suas reúniões consecutivas, tem apreciado o andamento dos actuais acontecimentos de Espanha, e congratula-se pelo êxito que desde o início, e muito especialmente agora, em que está demonstrado claramente o triunfo cada vez maior do Governo Republicano, o Govêrno Popular e democrático, guiado pelos mais altos princípios da democracia social, em luta contra todos os facismos, nacionalismos e reacção.
Vê com satisfação que se começa a sentir cada vez mais, o seu triunfo, estando portanto quasi que liquidada a orda chamada nacionalista.
Êste facto enche de júbilo a maioria do povo português, que aspira a sua liberdade e a sua independência, pois vê também que está próxima a sua libertação das garras infames de uma ditadura de tirania, de roubos e imoralidades, como nunca se viu em Portugal.
A repressão à liberdade do pensamento, a imoral censura à imprensa, para encobrir todas as malandrices, e a mentir constantemente ao povo, a criação sempre crescente de impostos, com a ganância do Estado e dos Grémios, só tendo direito os grandes, roubando os desgraçados que nem podem pedir pão para comer, as torturas mais infames praticadas pela polícia de informação com o consentimentos das autoridades civis e militares, e tudo isto tem aguentado o povo, embora com o protesto surdo de bôca em bôca, e onde as manifestações ao Govêrno, são obrigatórias, e ai daquêles que a elas faltem e não dêem vivas, mas que por vezes se tornam irrisórias.
Porque não deixam a tribuna livre, porque sabem, que na discussão e com factos seriam logo derrotados, pois não possuíam argumentação de defesa.
Uma grandissima parte de oficiais do exército, incluíndo você, tambem teem graves responsabilidades, e os quais as terão de pagar na sua oportunidade. Esses, estão assentes no nosso rol, para serem executados pela justiça do povo, pois que há muitas victimas do chamado Estado Novo, e inocentes, só pelo simples facto de discordarem da reacção, o que aliás estão no seu direito, como cidadãos.
Vocês no tempo das liberdades e sem razão revoltaram-se, e agora depois que se tem cometido crimes como nunca, e em que se poz a patria em perigo, de que vós sancionaram, traíndo o Govêrno Espanhol e favorendo a reacção, estais portanto debaixo de uma responsabilidade que por ela tendes de responder. Cometesteis uma traição de maus portugueses, que jámais poderão ser perdoados.
A Frente Popular Portuguesa, lança-vos êste convite:
Ou vós oficiais do exército, salvam desde já a situação vergonhosa, e perigosa, em que nos colocou o Govêrno da ditadura do Salazar, colocando-nos perante a Espanha Republicana e democrática, dando o golpe do Estado, evitando assim àmanhã um conflito e se o não fizerdes sereis considerados traidores à pátria, e então será o povo, que para salvar as suas liberdades e se pôr ao lado dos nossos irmãos espanhóis, que vos ha-de justiçar por suas próprias mãos, ou demiti-los por completo do exército.
Depois já é tarde.
Viva a República Social! Viva o Comunismo! Abaixo a ditadura! Abaixo os Nacionalistas!
Avante pelo triunfo do Govêrno Espanhol! Pelo povo!

Nota: Ouvir todas as noites, Rádio Frente popular Portuguesa, às 21 horas e um quarto, ondas curtas 40, às terças, quintas e sabados às 23 Moscovo em espanhol.
Pôrto, 14 de Agosto de 1937
O Secretário
(a) Ilegível
1937/08/14Comité do Norte da Frente Popula Comandante da 1º Região Militar do Porto FRENTE POPULAR PORTUGUESA

MANUSCRITOS

DOCUMENTO1DOCUMENTO2DATAAUTORTÍTULOBIOORGGEOEVENTOARQUIVONOTAS
1936?Notas preparatórias de comunicados e documentos.FRENTE POPULAR PORTUGUESA
1936?Notas preparatórias de comunicados e documentos.FRENTE POPULAR PORTUGUESA
1936?Notas preparatórias de comunicados e documentos.FRENTE POPULAR PORTUGUESA
Projecto de coCompêndio de Moral , transcrito em 17/03/1889. Pertencia a João Carlos Ribeiro dos Santosmunicado.FRENTE POPULAR PORTUGUESA

DACTILOSCRITOS

IMAGEMIMAGEM2 / TRANSCRIÇÃODATAAUTORTÍTULOORGBIOGEOEVENTOARQUIVO / ESPÓLIONOTAS
Projecto de comunicado.FRENTE POPULAR PORTUGUESA
Projecto de comunicado.FRENTE POPULAR PORTUGUESA
Projecto de comunicado.FRENTE POPULAR PORTUGUESA
Folhas avulsas.FRENTE POPULAR PORTUGUESA

 

 

Seja o primeiro a comentar

Deixar uma resposta