EPHEMERA DIÁRIO (23 DE MAIO DE 2020): ASTRONAUTAS E COSMONAUTAS

 

Estes homens, Gagarin, Komarov, Belyayev, Nikolaev, Leonov, Filipchenko, Khrunov, são cosmonautas soviéticos. Os russos sempre preferiram o termo “cosmonauta” ao de astronauta, mais comum nos EUA. Os pins com as suas caras mostram o grau de popularidade que tinham na URSS. Uma extensa iconografia – fotos, imagens, painéis, selos, cartazes, a que se associavam grandes esculturas, – mostra o papel central que a conquista do espaço tinha no imaginário e na propaganda do regime soviético. As escolas, as lojas, as paredes tinham pinturas celebrando os feitos soviéticos no espaço. Primeiro satélite, o Sputnik, primeira nave a tocar a Lua, Luna 2, primeiro cosmonauta, Gagarin,  primeira mulher no espaço, Valentina Terechkova, a celebrada cadela Laika, heroína da URSS, etc. Depois as coisas começaram a mudar e os EUA tomaram a dianteira, em grande parte impulsionados  pela necessidade de uma resposta política aos sucessos soviéticos.  Mas a sociedade soviética foi e é muito mais marcada pelo espaço do que os EUA. Uma das razões dessa situação tinha a ver com a associação da conquista espacial com a guerra nuclear no Ocidente, enquanto na URSS eram os sucessos do socialismo que os feitos espaciais “demonstravam”. Numa sociedade fechada e controlada, a propaganda  salientava o optimismo do futuro, tanto mais que a componente militar do programa espacial era cuidadosamente escondida. O espaço era o mesmo, mas eram dois mundos distintos que o queriam conquistar.

Seja o primeiro a comentar

Deixar uma resposta