EPHEMERA DIÁRIO (2ª SÉRIE) – A PENA DE MORTE (23 DE JANEIRO DE 2021)

No tempo em que os animais falavam, havia feiras um pouco por todo o lado. E,onde havia feiras, havia folhetos de cordel, ou simples folhas com canções ou versos, muitas vezes sobre o caso do dia,. Ou melhor, o crime do dia. Local; Viseu. Personagens: Anabela, costureira,  a vítima; os criminosos, “tres algozes / piores que animais ferozes” e o vingador e também criminoso por dever  de honra, Manuel Frazão. A Anabela tinha tido um namorado abusador e afastou-o para arranjar um “rapaz nobre e decente“. Iam casar, mas quem se mete por atalhos mete-se em trabalhos . A Anabela queria chegar depressa a casa, escolheu um caminho perigoso e foi assaltada, violada e deixada nua amarrada a uma árvore. O Manuel Frazão, quando a viu assim, pegou numa espingarda e matou os violadores, que se estavam a “rir” num barracão. Não sei se a história foi assim, mas salvos os detalhes para excitar o público e vender o folheto, não é impossível que o crime em traços largos esteja correctamente descrito. O crime e a pena de morte.

Seja o primeiro a comentar

Leave a Reply