EPHEMERA DIÁRIO (2ª SÉRIE) – FAZES O QUE EU QUERO, MESMO QUE NÃO QUEIRAS (14 DE FEVEREIRO DE 2021)

Os espólios de farmácias antigas estão cheios de surpresas, numa altura em que a regulamentação dos medicamentos e práticas terapêuticas era quase inexistente. As farmácias podiam produzir medicamentos, elixires, mezinhas que propagandeavam como cura para tudo. No ARQUIVO  há vários exemplos da competição entre as farmácias em defesa do “seu” remédio. Mas essa competição não se limItava aos medicamentos, era também sobre técnicas de cura, algumas das quais assentes no “magnetismo pessoal”, então muito em moda. O hipnotismo tornava-se popular, não só como espectáculo mas como forma de “mandar” independentemente da vontade alheia. Charcot e Freud interessaram-se pelo hipnotismo, e técnicas de hipnose são usadas hoje de um modo geral com controle cíentífico.

O panfleto de que publicamos as primeiras imagens é um exemplo de defesa de um célebre casal, o Dr. La Motte Sage e esposa, que faziam sessões de hipnotismo com salas cheias e escreveram vários livros  incluindo The Philosophy of Personal Influence.  Ganharam uma fortuna a fazer pessoas acreditarem que estavam a ferrar uma mula. Se fosse hoje ninguém sabia como ferrar uma mula, e presumo que nalguns casos nem o que é uma mula.

Seja o primeiro a comentar

Leave a Reply