EPHEMERA DIÁRIO (2ª SÉRIE) – A MUTAÇÃO DA COUVE-FLOR (1 DE MARÇO DE 2021)

Esta semana faz um ano que oficialmente começou em Portugal a pandemia que ainda nos tem presos em casa. Mesmo com os altos e baixos do confinamento, é muito tempo. As mudanças deste tempo pestífero são para ficar? Presumo que a força da inércia é mais do que a do vírus, e portanto pouco ficará para além da memória. Mas não sei, é apenas uma presunção. Uma coisa já mudou: a couve-flor. Nos muros, pela voz dos grafitos. É suposto que não cozinhem com esta variante.

Seja o primeiro a comentar

Leave a Reply