EPHEMERA DIÁRIO (2ª SÉRIE) – O CALVÁRIO DA DITADURA (9 DE MARÇO DE 2021)

Esta imagem data dos primeiros anos da ditadura, início dos anos trinta. Este tipo de imagens era comum na imprensa anarquista e reviralhista da época e depois caiu no esquecimento. Nalguns casos, como penso ser o caso desta, foram publicadas fora de Portugal, mesmo nos EUA, onde na Nova Inglaterra havia uma comunidade portuguesa anarquista, e depois comunista, considerável nas fábricas têxteis. Nós temos tendência a esquecer que estes anos foram dos mais violentos da ditadura, violência armada, nas ruas, com civis e militares a combater entre sublevados e tropas fiéis ao governo do nascente Estado Novo. Depois deixou de haver “mocidade” para começar a haver Mocidade Portuguesa, o Tarrafal encheu-se, a guerra de Espanha passou da esperança ao desespero, a Legião tomou conta das cidades, e não havia bons PIDEs a não ser no filme do António Lopes Ribeiro, e veio muita miséria. E Salazar não era o soldado romano que trespassou Cristo “e imediatamente saiu sangue e água” que lhe curaram os olhos. O soldado foi S. Longino e Salazar nunca se converteu.

Seja o primeiro a comentar

Leave a Reply