ELEIÇÕES NO BRASIL (E ANGOLA, VENEZUELA, ETC.)

Lenços de campanha.

No EPHEMERA, há materiais de mais de uma centena de nações, nalguns casos apenas uma ou duas entradas muito escassas, noutras um número significativo de espécimes, sendo que foi publicado menos de 1/10 do que tem entrado recentemente. Por exemplo, materiais recentes dos partidos políticos e movimentos sociais europeus, de Espanha à Noruega, muitos ainda estão por publicar. No entanto, faz-se um esforço para cobrir os processos eleitorais mais importantes em todo o mundo, com os materiais originais (no EPHEMERA o que se publica não é tirado da Rede, mas existe fisicamente, salvo muito raras excepções para complementar uma entrada). Esse esforço implica compras internacionais e ofertas dos amigos um pouco por toda a parte, como é o caso da cobertura fotográfica e de recolha de Márcia Lopes das eleições municipais no Brasil na zona de S. Paulo, que muito agradeço.

No entanto, um número significativo de leitores do EPHEMERA é brasileiro, o que me permite um apelo à sua colaboração na cobertura da vida política, sindical e social brasileira, que, como uma das maiores democracias do mundo, produz literalmente toneladas de material diverso, impossível sequer de inventariar. É o caso das eleições municipais deste mês, cujos materiais são bem vindos ao EPHEMERA e serão aqui publicados.Os custos do correio ou qualquer despesa suplementar correm, como é evidente, por minha conta.

Este apelo estende-se a outros importantes processos eleitorais, em países onde também há leitores e amigos como Angola e Venezuela, em que ocorreram recentes processos eleitorais ainda aqui não documentados. Estes apelos são time sensitive porque a experiência mostra que seis meses depois de uma campanha eleitoral grande parte do material (bandeiras, cartazes, objectos, autocolantes, panfletos, etc.) estão destruídos.

O EPHEMERA é consultado por estudiosos de política, marketing e design, que podem aqui encontrar um repertório diversificado para estudar comparativamente muitos aspectos da actividade política e social, desde a “imagem” das campanhas e da propaganda, às soluções propostas e à narrativa política e social. Cobrindo partidos, sindicatos e movimentos sociais, com diferentes graus de organização e formalidade e em diferentes épocas, sem qualquer exclusão, de moderados a radicais e extremistas,  é possível perceber melhor  o sentido do espaço público.

Seja o primeiro a comentar

Leave a Reply