EPHEMERA DIÁRIO (2ª SÉRIE) – NUMA PAREDE (3 DE MARÇO DE 2021)

Numa parede do ARQUIVO estão alguns retratos de personagens que nele habitam, cujos espólios, papéis, fotografias, desenhos, objectos perderam alguma efemeridade, pelo humano tempo da memória, e pelo físico tempo da deterioração inevitável das coisas. Não são únicos, há mais parede noutros sítios. São paredes que lembram o fugaz reino da entropia negativa. De cima para baixo: Vitor Crespo numa fotografia oficial, um prato da memorabilia de Sá Carneiro, dois retratos de pai e filho, ambos jornalistas do Diário de Notícias, Júlio e Mário de Almeida,  e um desenho retratando Rodrigues da Silva, também jornalista. O prego vazio pertencia a uma caricatura de José Fonseca e Costa que saiu para uma exposição em Viseu. Não são fantasmas, aqui estão vivos.

 

Seja o primeiro a comentar

Leave a Reply