NÚCLEO DE GASTRONOMIA DO EPHEMERA: EMENTAS DE RESTAURANTES

“Coisas do Arquivo Ephemera: recentemente adquirido, e acabado de chegar ao seu Núcleo de Gastronomia, um conjunto de ementas, de restaurantes monegasco, portugueses e franceses, alguns já desaparecidos.
A do Hôtel de Paris Monte-Carlo, no Mónaco, sem data, tinha como um dos pratos do dia angulas fritas. Hoje, o restaurante é dirigido por Alain Ducasse Chef cuisinier.
A do Chester, sem data, fazia referência aos seus célebres bifes. Situado na Rua Rodrigo da Fonseca, em Lisboa, encerrou e deu lugar ao Restaurante Grei.
A do Larue, em Paris, data de Dezembro de 1940. É uma pena estar aparada. Mas, em plena II Guerra Mundial, e com uma capa bem patriótica, sublinha que serão dadas senhas à chegada para os pratos racionados. Ao fim de quase 75 anos, o Larue encerrou em 1954. Veja aqui a história deste “templo da gastronomia”: https://www.lemonde.fr/…/le-restaurant-larue-a-son-tour…
Segue-se a do Hotel Plaza Athenee, em Paris, que existe desde 1850. Estávamos a 22 de Julho de 1939. A guerra começaria a 1 de Setembro. Actualmente tem cinco restaurantes, que se reivindicam de “gastronomia de Alta Costura”. Foram durante vários anos dirigidos por Alain Ducasse Chef cuisinier. Passaram em 2020 para a direcção do jovem chef Jean Imbert.
A do Hotel Albatroz, em Cascais, é de 9 de Janeiro de 1988. E representa a transição – as ementas portuguesas, que tinham como segunda língua o francês, passam a partir da década de 1970 a ter cada vez mais o inglês como tradução. Está decorada com uma aguarela de “Alves A. Duarte (?).
Finalmente, a ementa do Alvor Praia, Algarve (hoje Pestana Alvor Praia Beach & Golf Hotel), sem data, tem design de Luís Filipe de Abreu.”

Seja o primeiro a comentar

Leave a Reply