ESPÓLIO QUIRINO FREITAS / CASA JALCO – NOVOS MATERIAIS

 

Agradeço a Maria de Freitas e José de Freitas a oferta ao ARQUIVO EPHEMERA do remanescente do espólio de seu pai Quirino Freitas, recentemente falecido. Uma primeira entrega já tinha sido referida em ESPÓLIO QUIRINO FREITAS / CASA JALCO.

A importância deste espólio para a história de uma casa de decoração célebre de Lisboa, a Casa Jalco, assim como para o conhecimento do seu principal criador, traduz-se em muitas centenas de desenhos originais a tinta da china e pinturas, de projectos de decoração, móveis, frisos decorativos, e muito outro material avulso que completa a “obra”.

Guardado todo o espólio está-se a estudar uma hipótese de fazer uma grande exposição em 2024.

 

Quirino Freitas nasce em 31 de outubro de 1935 em Lisboa na encosta do Castelo de São Jorge.  Filho de Maria Monteiro e de José de Freitas este natural de Braga e que era o Chefe encarregado da marcenaria da fábrica de móveis da Jalco em Alcântara e Mestre de obras da mesma casa.Após o final dos anos 40 com o surgimento do Bairro dos Actores  junto ao Areeiro, mudaram seus pais de residência, o que o enquadrou na moderna Lisboa do Estado Novo.Estudou desenho de perspetiva de móveis/ equipamento e decoração na Escola Industrial António Arroio (arte aplicada), sedeada na rua Almirante Barroso (junto ao liceu Camões), um curso que não concluiu.

Dada a ligação do seu pai à Casa Jalco e do seu padrinho o arquiteto Fernando Bureau, começou em 1955, com 20 anos a trabalhar como desenhador de mobiliário e decorador na mesma casa, a JALCO. Projeta na sua carreira inúmeros desenhos de móveis e decorações de espaços, sendo também este o responsável pelas medições dos espaços a serem intervencionados.Conta-se profissionalmente a decoração de vários hotéis em Portugal, Companhias, Seguros, lojas de marca. Colabora na decoração do Hotel do Mar em Sesimbra.  Viaja para Alemanha, França e Suíça para a decoração das Embaixadas de Portugal nesses países. Decora inúmeras casas particulares, gabinetes ministeriais, etc.

Desenvolveu a sua actividade sempre ligado à mesma casa onde permaneceu até ao seu fecho na Rua Ivens, 44, em 1992 (?).

Faleceu em 24 de Julho de 2022.

(Retrato de J. Magalhães, 1974)

Móvel desenhado por Quirino Freitas onde estão a ser colocados materiais do espólio.

Desenhos de decorações.

Pinturas para painéis decorativos.

 

Seja o primeiro a comentar

Leave a Reply