EPHEMERA – NOTÍCIAS DA SEMANA (DE 18 A 24 DE JULHO DE 2016)

ACTUALIZADO

Ver EPHEMERA – NOTÍCIAS DAS SEMANAS (JULHO DE 2016) – SUPLEMENTO DA BIBLIOTECA

EDITORIAL: ONDE TUDO COMEÇOU

Catálogo antigo da BIBLIOTECA que serviu a meu avô (Gonçalo Pacheco Pereira) e a meu pai (Álvaro Pacheco Pereira) para  registar as existências de livros, revistas, almanaques, partituras, etc.  Há vários milhares de fichas.

As imagens são das capas dos catálogos antigos da BIBLIOTECA, identificada como a Biblioteca de Gonçalo Pacheco Pereira”. meu avô, e com o acrescento de “Álvaro” , na verdade Álvaro Gonçalo de Lima Pacheco Pereira, meu pai. Eu dei também continuidade a esta tradição e as fichas dos primeiros livros que comprei foram feitas segundo o mesmo modelo tradicional (FICHAS ORIGINAIS DA BIBLIOTECA). As fichas eram compradas na tipografia Marânus, que pertencia à família de Teixeira de Pascoaes, e que existia (já não existe, nem a tipografia, nem o prédio) na Praça da República no Porto. Uma das minhas primeiras tarefas associadas à BIBLIOTECA familiar era comprar as fichas em maços de 100 quando se esgotavam, o que acontecia com frequência.

Nos papéis de meu pai encontrei um conjunto de notas manuscritas sobre a “história da biblioteca”, que estou a preparar para serem publicadas. Em conjunto com os catálogos de leilões de livros, em que o meu avô anotava as compras que fazia e o preço ( e às vezes desenhos do leiloeiro), pode reconstituir-se uma grande parte da história da BIBLIOTECA.

Ver

CATÁLOGO ANTIGO DA BIBLIOTECA

FICHAS ORIGINAIS DA BIBLIOTECA

COLECÇÃO EPHEMERA

Uma nova forma de luta_capa2

Capa do próximo volume da colecção a sair em Setembro.

*

NOTÍCIAS DO ESPAÇO DO EPHEMERA NA LER DEVAGAR

Logo Ler Devagar

O sucesso desta nossa “sala de visitas” em Lisboa tem sido grande. Novos voluntários aparecem, as entregas de materiais sucedem-se e um excelente ambiente de trabalho tem favorecido a organização de espólios e a sua  investigação. Esta semana, no âmbito de um documentário que a TVI está a fazer sobre o ARQUIVO / BIBLIOTECA (cujas primeiras filmagens foram na Tinta da China sobre os materiais do espólio Palma Inácio associado ao livro sobre a LUAR do Fernando Pereira Marques) , foram acompanhadas algumas entregas de material e entrevistados alguns voluntários e doadores.

Esta semana estaremos lá de novo a trabalhar, a receber os Amigos do Ephemera, e as entregas de material para o ARQUIVO.

HORÁRIO:

TERÇA-FEIRA, 26 DE JULHO , DAS 17 ÀS 19 HORAS.

QUINTA-FEIRA, 28 DE JULHO , DAS 17 ÀS 19 HORAS.

EPHEMERA NO PORTO

IMG_3418

Já há um espaço para o EPHEMERA no Porto no edifício das Ciências de Comunicação da Universidade do Porto, gerido pelo ID+, Instituto de Investigação em Design Media e Cultura (UP e UA) e no âmbito de uma parceria ID+ que permite a utilização dos recursos do ARQUIVO / BIBLIOTECA para as suas actividades académicas .

A morada é (Praça Coronel Pacheco, 15, 3º andar, sala 308 (ID+)).

Está já em condições de se iniciar um período provisório de funcionamento, estando previsto em Outubro uma inauguração mais “formal”. De qualquer modo já se pode anunciar uma primeira permanência ainda em Julho, em que estarão presentes amigos do Porto e uma delegação de Lisboa para conversar e coordenar actividades, e  em que se pode iniciar a recolha de materiais do Porto e do Norte e algum trabalho preliminar.

Agradeço a Heitor Alvelos, Director do Programa Doutoral o seu papel na cedência  desta sala.

HORÁRIO:

SEGUNDA-FEIRA, 25 DE JULHO , DAS 15.30 ÁS 17.30.

TRABALHOS  DE INVESTIGAÇÃO USANDO O MATERIAL DO EPHEMERA

Trabalhando no ARQUIVO / BIBLIOTECA nos fundos relativos à comunicação social (Papéis da ARCADA e da Censura).

Em pé: Adelino Gomes fazendo as “honras da casa” a Sofia Pinto Ribeiro e sua irmã (ver mais abaixo sobre a sua doação para o ARQUIVO); sentados: da direita para a esquerda, Júlia Leitão de Barros, Vasco Ribeiro, Mário de Almeida (que ofereceu os papéis da ARCADA do espólio de seu pai Armando de Almeida) e Judite Nozes.

*

Retratos de uma Lisboa Musical…

Por Bruno Caseirão

Cópia de 6-Jun-09 Fotografia (4) (7)

Num restaurante de Lisboa, Constantino Varela Cid, Farizet Gilels e Emil Gilels (da esquerda para a diretra), em Abril de 1961,

A EPHEMERA, Biblioteca e Arquivo de José Pacheco Pereira, possui dois espólios musicais de grande interesse para um melhor conhecimento e compreensão da vida musical lisboeta nas décadas de 40 a finais de 60 do século passado, os quais estão a ser trabalhados pelo investigador do Centro de Estudos de Sociologia e Estética Musical – CESEM da Universidade Nova de Lisboa, Bruno Caseirão, que os apresentou no âmbito do V Seminário  – Música, Teoria Crítica e Comunicação desse Instituto.

O primeiro espólio, de João Gonçalves, consta de uma colecção de cerca de uma centena de programas do Teatro Nacional de S. Carlos anotados por Joaquim José Esteves, o qual tirava durante as récitas – de forma tão meticulosa como obsessiva – extensas notas que posteriormente dactilografava e agrafava aos programas de sala.

Um conjunto de fotografias do empresário e agente de concertos Constantino Varela Cid, irmão e tio dos pianistas Lourenço e Sérgio Varela Cid, constitui-se como o segundo espólio e, por ventura, o mais interessante dos dois. Estas colecção de fotografias  subdivide-se em dois grupos, um primeiro, de fotografias tiradas em ambiente “pós-concerto” em que  Varela Cid, verdadeiro “Mestre de Cerimónias” e da “arte de bem receber”, surge com alguns dos mais eminentes artistas que se deslocaram a Lisboa: Stravinsky, Kempff, Suggia, Rubinstein (para apenas nomear alguns), e um segundo grupo de fotografias que lhe são dedicadas e autografadas por esses e/ou outros músicos.

Estes fundos constituem-se não só como uma contribuição tão inesperada como inovadora para um maior conhecimento da realidade musical Lisboeta “informal” das décadas de 40-60 do século passado, como ajudam à compreensão da relação entre determinadas personalidades e as instituições musicais, em particular o Teatro Nacional de São Carlos, e a acção mecenática de Elisa de Sousa Pedroso e do Círculo de Cultura Musical.

*

(Mais em breve.)

AGRADECIMENTOS E ENTRADAS

Agradecimentos a José Pereira Miguel, Graciete Caldeira, Vasco Ribeiro,  e outros (em breve.)

*

IMG_3444

Agradeço a Jorge Henriques mais uma série de ofertas para o ARQUIVO / BIBLIOTECA . Desta vez veio algo de muito especial, um camuflado com todas as peças, usado na guerra colonial. Por coincidência veio mesmo a propósito para figurar numa exposição feita pelo NUPAE, uma instituição cultural da Vila da Marmeleira, sobre a participação local no esforço de guerra. Para essa exposição ,que terá os retratos de todos os marmeleirenses que estiveram na Guiné, Angola e Moçambique, em todos os ramos das Forças Armadas, será fornecido vário material de suporto, como o boneco do PIFAS, estandartes de regimentos e batalhões, cinzeiros, manuais militares, com origem em vários espólios de militares que se encontram no ARQUIVO.

*

Scanner_20160722

Copy of Scanner_20160722 (2)

Agradeço a Paulo Lara e à Associação Tchiweka de Documentação (Luanda, Angola) o envio do documentário Angola – Nos Trilhos da Independência e de um video sobre o Campo de São Nicolau no Sul da Angola. Trata-se de importantes contribuições para a história da luta anticolonial e da independência de Angola, que enriquecem o ARQUIVO / BIBLIOTECA. Conhecemos de há muito o trabalho da Associação Tchiweka de Documentação (Luanda, Angola), e temos muito gosto em colocar à sua disposição todo o material que entendam útil sobre a história da luta anticolonial em Portugal e no exílio, em que o ARQUIVO é bastante rico.

*

Agradeço a Sofia Pinto Ribeiro e a seus irmãos Pedro e Filipa Pinto Ribeiro, a oferta que fizeram do partes do espólio de seu pai, incluindo uma colecção de selos e vários objectos relativos à sua experiência militar e ultramarina. Todos serão tratados e inventariados com a atenção que merecem, tanto mais que vivendo em várias partes do mundo encontraram tempo nas suas férias para virem visitar o ARQUIVO / BIBLIOTECA e poderem conhecer em primeira mão o trabalho que fazemos.

*

ZPPALDEF_5851_resize

Agradeço a Heitor Alvelos a oferta do conjunto integral dos cartazes do projecto Future Places – Media Lab for Citiszenship

Ver  MEDIALAB FOR CITIZENSHIP – FUTURE PLACES

*

Agradeço à Cinema Novo CRL a oferta de mais de cem caixotes de material relativo ao cinema, recortes, revistas, junto com estantes e classificadores. Esta oferta associada aos espólios de José Fonseca e Costa, José Borrego e  José Carlos Ferreira de Almeida, tornam muito relevante a parte do cinema do  ARQUIVO / BIBLIOTECA .

*

Agradeço a Eduardo Almeida (Dino), autor de Breve História do Metal Português, a oferta de um conjunto de fanzines, folhetos e cartazes sobre heavy metal assim como inúmeras informações sobre o underground musical português.

2016-07-19 12.44.12

Cedeu, também, um conjunto de ficheiros numéricos de vários fanzines editados a partir da década de 80, assim como teses de mestrado e outros trabalhos dedicadas ao panorama metaleiro português. Imbuído do mesmo espírito que anima este Arquivo, Eduardo Almeida sublinhou: «Para mim, só a partilha de informação faz sentido, é assim que se gera conhecimento e se perpetua a memória dos movimentos artísticos, culturais, sociais e políticos, bem como dos seus protagonistas. Acredito que quantos mais materiais estiverem à disposição do público melhor. Todos ganham com isso.»

*

OS OBJECTOS NO ARQUIVO

Uma das características únicas do ARQUIVO  é a sua atenção aos objectos ligados à vida política, muitas vezes menosprezados como menos nobres neste tipo de recolhas. O que é interessante é ver o efeito de surpresa quando se faz uma exposição e se mostram os objectos no contexto da acção política. Muitos são lúdicos, outros kitsh, outros “oportunistas “, feitos por terceiros para ganhar dinheiro com o sucesso de um partido ou de um político, mas todos ajudam a perceber melhor a nossa vida política.

A “colheita” desta semana foi interessante e aqui se divulgam alguns dos objectos que entraram no ARQUIVO.

Cubos.

IMG_3456

Uma travessa com a imgaem de Sá Carneiro. Embora haja muita memorabilia póstuma de Sá Carneiro, penso que esta foi feita em vida.

Cinzeiros.

COISAS QUE INTERESSAM AO EPHEMERA

convite WEB Sergio Valente

Seja o primeiro a comentar

Deixar uma resposta